12.5.17

Pom Poko

Pom Poko
Studio Ghibli - Isao Takahata
Anime - Filme
1994
7 em 10

Como havíamos visto um filme de terror sem o meu consentimento, fui eu a decidir o que iríamos ver a seguir. Escolhi o filme de anime mais fofinho que tinha em disco. Não esperava grande coisa, mas é um filme fascinante!

Como todos sabemos, existem animais com a capacidade de se transformarem: raposas, guaxinins e alguns gatos. Quando se estabelece um projecto imobiliário que irá destruir a montanha onde vivem os guaxinins (tanuki), eles decidem fazer uso dos seus poderes. Começam por destruir a obra e depois decidem assombrá-la. Será que conseguem proteger a sua casa?

Esta é uma história que debate vários assuntos. Falamos aqui da protecção da naturesza e do habitat da fauna indígena dos lugares. Mas também falamos da luta pelo poder, da perda da tradição, da transformação do antigo em novo, da substituição de hábitos. Os tanuki podem ser uma metáfora para cada uma destas coisas, mas a própria personalidade da espécie, que brinca, canta e dança a toda a hora, faz como que estas ideias estejam perspectivadas de uma forma muito bem-humorada.

Com personagens únicos, que revelam mais humanidade do que se poderia esperar, acompanhamos as peripécias cómicas deste grupo. Mas nem tudo é bom: afinal, um animal não deixa de ser um animal e continua a correr perigos. E, pelo menos neste filme, os perigos têm consequências que podem ser fatais.

A animação é, também, exctraordinária. Se ao início os designs me deixaram um pouco de pé atrás (os tanuki têm testículos!), as sequências de transformação, em especial a parada dos yokai, revelam uma capacidade extraordinária, sobretudo considerando a década de produção dest efilme. Temos uma loucura, entre designs, perspectivas e cores, que formam uma amálgama que não precisa de fazer sentido para ser fascinante. Além disso, testículos para-quedas. E pronto.

A música é também muito variada, com coros diversos que cantam letras muito engraçadas. Talvez a parte que tenha gostado menos tenham sido as vozes e o facto de o filme ter um narrador.

No entanto, parece-me que este filme aparece numa posição difícil, pois é um pouco incatalogável. Se por um lado trata de temas (como a reprodução) quer não são apropriadas a um público infantil, os designs não são atraentes para um público mais velho.

De todos os modos, recomendo que o vejam!

Sem comentários:

Enviar um comentário